9.7.18

Desabafo De Meias Verdades

aceitar que não se pode abraçar o mundo é uma forma de abraça-lo
há um milhão de almas vagando pelas ruas
há um milhão de cores e odores espreitando sensações e amores
onde você está agora
o que você está fazendo agora
é tudo que você precisa ter
o mundo inteiro não quer ser abraçado
ele quer ter cada pedaço da sua macrosfera contemplado
ele quer ser testemunha de momentos reais
e melhor ainda, pessoas reais
quando você abraça o mundo você não sente o mundo
tudo é questão de intensidade
muitas vezes por ego ou pela imagem
deixamos de ser genuínos
deixamos a noite e os dias esvaírem nossos reais anseios
em busca de motivos que não são verdadeiros
o ser humano tem essa curiosa mania de querer tapar buracos com o vento
viver é contratempo
lutamos com o tempo e ele nem é nosso inimigo
cultive bons amigos mais do que busque fazer novos
isso não é uma receita porque a vida é que ensina
transfigure os problemas antes que eles virem sina
abrace você mesmo de cabeça erguida enquanto vira cada esquina da sua rotina
eu falo do aqui e do agora e não da projeção de verdades
acabei de vomitar e o motivo incrivelmente não foi álcool barato
verdades cruéis  não podem permanecer tempo demais dentro da gente
tudo que fica parado por muito tempo esfria e eu sempre preferi o verão
nunca vou conseguir dizer tudo que eu gostaria
assim como nunca vou conseguir entender a funcionalidade real da existência
e tudo bem
tudo bem nem sempre estar no comando de si mesmo e de tudo a sua volta
tudo bem falar uma verdade que não necessariamente rime com a frase anterior
tudo bem nem sempre se sentir vinculado a algo concreto
e tudo bem nem sempre conseguir ser racional e direto
a vida é cheia dessas meias verdades
peço perdão pelo desabafo
mas ninguém é de aço
e tudo bem


26.4.18

Mirando na Lua e Acertando as Estrelas

meu coração queima
com a dor e a delícia do tempo e dos momentos
em uma perfeita sincronia dissipada
os dias são tão líquidos
e os sonhos tão sólidos
e eu fico a mercê
desses pensamentos insólitos
mirando na lua e acertando as estrelas
é bonito mas não é profundo
e eu gosto do estrago
da profundidade quilométrica
e do nível elevado
faz dias que não sei quem sou
mas me conheço a tanto tempo
talvez seja justamente esse o desafio
se encontrar dentro de si mesmo


18.4.18

Tudo que Incendeia Dentro do Peito Vale a Pena Ser Sentido

tudo acontece por um motivo
e a gente aconteceu
acontecemos por uma fração eterna de tempo dentro do tempo
mesmo sabendo que a eternidade vive a espreita da efemeridade
porém o amor não liga pra isso
e a gente ligava pro amor
porque tudo que incendeia dentro do peito vale a pena ser sentido
com ou sem sentido
fomos um do outro abrigo
mas até mesmo o tempo se dissipa
no decorrer das sensações e dos dias
aquelas tuas palavras soltas ainda ecoam na minha mente
sussurram duvidas e criam hipóteses
tento encaixar os motivos
de um começo repentino e um fim precoce